Organização, planejamento e pontualidade.

Controle de Processos

Acompanhe o andamento de seu processo

Newsletter

Receba as novidades jurídicas e do escritório

Nossos Casos de Sucesso

Justiça condena TAILTEC EQUIPAMENTOS HIDRÁULICOS LTDA a pagar mais de R$ 250.000,00 a ex- empregado

 
 
 
O trabalhador C. R. S., que foi representado pelo escritório Martins & Teixeira Advocacia e Consultoria, obteve uma importe conquista na Justiça do Trabalho em Osasco SP e deverá receber mais de R$ 250.000,00 em valores atuais.
 
 
A Justiça reconheceu diversos pedidos do empregado e condenou a empresa TAILTEC EQUIPAMENTOS HIDRÁULICOS LTDA ao pagamento das diferenças salariais e indenizações.
 
 
No processo, o empregado comprovou, por perícia médica e em audiência, que sofreu acidente do trabalho na empresa e que isso prejudicou a sua capacidade de trabalho.
 
 
Então, a Justiça reconheceu a o acidente de trabalho e condenou a empresa ao pagamento de pensão mensal vitalícia, que foi convertida em indenização por danos materiais, no valor de aproximadamente R$ 230.000,00, conisderando 15% do último salário percebido na empresa, acrescido do 13º salários, férias + 1/3 constitucional, a idade do empregado à época da demissão e a expectativa média de vida do brasileiro, conforme tabela do IBGE.
 
 
A indenização deverá ser paga à vista, mediante parcela única, conforme pedido do empregado.
 
 
A perícia técnica também comprovou o trabalho insalubre e perigoso, de modo que a Justiça ordenou que a empresa pague os adicionais de periculosidade, por ser mais vantajoso ao empregado, mais reflexos nas demais verbas trabalhistas devidas ao empregado, quais sejam, DSR, adicional noturno, aviso prévio, 13º, férias 1/3, FGTS + 40% de multa.
 
 
Por fim, a empresa ainda foi condenada ao pagamento das multas previstas nos artigos 467 e 477, da CLT, pelo atraso no pagamento das verbas rescisórias e indenizatórias do empregado.
 
 
O advogado João Teixeira Júnior, especialista em direito do trabalho e processo do trabalho, explica que o processo eletrônico trouxe vantagem às partes e aos advogados, pois o processo passou a tramitar de maneira muito mais célere.
 
 
No caso, o processo foi distribuído o início de 2015 e, mesmo sendo complexo, já foi sentenciado.
 
 
Além disso, o Tribunal já julgou os recursos interpostos contra a sentença e manteve a condenação da empresa.
 
 
Por fim, o empregado ainda fez uso da execução provisória, buscando que o pagamento ocorra de modo ainda mais célere, já que o processo de cobrança é iniciado mesmo que a empresa recorra das decisões, o que garante maior efetividade às decisões judiciais.
 
 
 
Processo Principal n. 1000155-94.2015.5.02.0384
Execução Provisória n. 1002037-57.2016.5.02.0384
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia